Os profissionais de saúde e a prática de preceptoria na atenção básica

assistência, formação e transformações possíveis

Palavras-chave: Atenção Básica à Saúde, Educação em Saúde, Mentores, Sistema Único de Saúde

Resumo

Tendo em vista os grandes desafios do SUS, sobretudo em contextos de crises, a formação de seus profissionais passa a ser tema de mais alta relevância. Nesse sentido, a preceptoria é uma atividade essencial para a formação de profissionais de saúde e tem cada vez mais ocupado papel de destaque nas discussões acadêmicas, desta maneira, as práticas de preceptoria dos profissionais da Atenção Básica devem se tornar alvo da atenção dos centros formadores dos profissionais de saúde. O objetivo do trabalho foi analisar o perfil dos profissionais de saúde das Unidades Básicas do município de São Luís (MA) que exercem a prática de preceptoria na Atenção Básica e avaliar a percepção destes profissionais sobre sua prática de preceptoria e possíveis contribuições no processo de formação. Trata-se de uma pesquisa qualitativa, exploratória, descritiva, de natureza analítica. Os sujeitos envolvidos no estudo foram profissionais de saúde das Unidades Básicas que exercem ou já exerceram atividades de preceptoria há no mínimo 1 ano. A coleta de dados ocorreu por meio de entrevistas semiestruturadas e pela aplicação de questionário sociodemográfico. A análise de dados ocorreu a partir das entrevistas e questionários, sendo utilizado o critério de saturação temática.  Foi possível identificar a percepção dos preceptores sobre sua prática apontando para um modelo de professor fora dos muros da escola e a importância da Atenção Básica como cenário de transformação e formação diferenciada dos futuros profissionais de saúde. A presença do estudante significa para o preceptor um estímulo ao seu próprio crescimento profissional. Foi possível também identificar a importância da Atenção Básica como cenário de formação e transformação para os futuros profissionais da área de saúde, demonstrando estar de acordo com o que é proposto nas Diretrizes Curriculares Nacionais dos cursos de graduação em saúde.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Patrícia Kecianne Costa Ribeiro, Universidade Ceuma

Programa de Pós-graduação em Gestão de Programas e Serviços de Saúde da Universidade Ceuma, São Luís, Maranhão, Brasil

Wellyson da Cunha Araújo Firmo, Universidade Federal do Maranhão e Universidade Ceuma

Curso de Biomedicina da Universidade Ceuma, São Luís, Maranhão, Brasil e Programa de Pós-graduação em Saúde e Ambiente da Universidade Federal do Maranhão, São Luís, Maranhão, Brasil

Mércia Helena Salgado Leite Sousa, Universidade Ceuma

Programa de Pós-graduação em Gestão de Programas e Serviços de Saúde da Universidade Ceuma, São Luís, Maranhão, Brasil

Ivan Abreu Figueiredo, Universidade Ceuma

Programa de Pós-graduação em Gestão de Programas e Serviços de Saúde da Universidade Ceuma, São Luís, Maranhão, Brasil

Marcos Antônio Barbosa Pacheco, Universidade Ceuma

Programa de Pós-graduação em Gestão de Programas e Serviços de Saúde da Universidade Ceuma, São Luís, Maranhão, Brasil

Referências

Moreira COF, Dias MSA. Diretrizes Curriculares na saúde e as mudanças nos modelos de saúde e de educação. ABCS Health Sciences. 2015;40(3):300-5. https://doi.org/10.7322/abcshs.v40i3.811.

Oliveira FD. A preceptoria na estratégia saúde da família: o olhar dos profissionais de saúde [dissertação]. [Natal]: Universidade Federal do Rio Grande do Norte; 2014.

Ministério da Saúde (BR). Lei n. 8.080/1990, de 19 de setembro de 1990. Dispõe sobre as condições para a promoção, proteção e recuperação da saúde, a organização e o funcionamento dos serviços correspondentes. Brasília (DF): Diário Oficial da União; 1990 [citado em 1 ago. 2019]. Disponível em: http://conselho.saude.gov.br/legislacao/lei8080_190990.htm.

Brasil. Lei n. 9.394, de 20 de dezembro de 1996. Estabelece as diretrizes e bases da educação nacional. Brasília (DF): Diário Oficial da União: 1996 dez. 23 [citado em 1 jun. 2017]. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/L9394.htm.

Girotto LC. Preceptores do Sistema Único de Saúde: como percebem seu papel em processos educacionais na saúde [dissertação]. [São Paulo]: Universidade de São Paulo; 2016.

Pacheco M. Medicina e educação médica: missão, mito e métodos. São Luís: Ed. CEUMA; 2014.

Ministério da Educação (BR). Resolução n. 03/2014 CNE/CES, de 3 junho de 2014. Diretrizes Curriculares Nacionais dos Curso de Graduação em Medicina; 2014.

Arnemann CT, Kure MHL, Gastaldo D, Jorge ACR, Silva AL, Margarites AGF. Práticas exitosas dos preceptores de uma residência multiprofissional: interface com a interprofissionalidade. Interface (Botucatu). 2018;22(suppl.2):1635-46. https://doi.org/10.1590/1807-57622017.0841.

Ministério da Saúde (BR). Política de Formação e Desenvolvimento para o SUS: caminhos para a educação permanente em saúde, de 25 de agosto de 2003. Brasília (DF): MS; 2003 [citado em 1 de jun. de 2017]. Disponível em: http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/pol_formacao_desenv.pdf.

Anjos TCC. Uma análise do exercício da preceptoria e as Diretrizes Curriculares Nacionais no programa de prevenção e controle das doenças sexualmente transmissíveis, AIDS e Hepatites virais do município de Maceió [dissertação]. [Maceió]: Universidade Federal de Alagoas; 2015.

Autonomo FROM, Hortale VA, Santos GB, Botti SHO. A preceptoria na formação médica e multiprofissional com ênfase na atenção primária: análise das publicações brasileiras. Rev Bras Educ Med. 2015;39(2):316-27. https://doi.org/10.1590/1981-52712015v39n2e02602014.

Mattede MGS. Problematizar para aprender a aprender. 2a ed. Vitória, ES: Emescam; 2016.

Minayo MCS. O desafio do conhecimento: pesquisa qualitativa em saúde. 8a ed. São Paulo: Hucitec; 2004.

Bardin L. Análise de conteúdo. Lisboa; 1979.

Deslandes SF, Gomes R, Minayo MCS. Pesquisa Social: teoria, método e criatividade. 32ª ed. São Paulo: Editoras Vozes, 2012.

Lima CM, Siqueira CRD, Almeida FAZ, Ferreira GEB, Amaral JLA, et.al. Valorização da preceptoria de residência médica na região Amazônica. Cadernos ABEM. 2013;9:69-75.

Bispo EPF, Tavares CHF, Tomaz JMT. Interdisciplinaridade no ensino em saúde: o olhar do preceptor na saúde da família. Interface (Botucatu). 2014;18(49):337-50. https://doi.org/10.1590/1807-57622013.0158.

Sant’Ana ERRB, Pereira ERS. preceptoria médica em serviço de emergência e urgência hospitalar na perspectiva de médicos. Rev Bras Educ Med. 2016;40(2): 204-15. https://doi.org/10.1590/1981-52712015v40n2e00542014.

Almeida PF, Bastos MO, Condé MA, Macedo NJ, Feteira JM, Botelho FP, et al. Trabalho de campo supervisionado II: uma experiência curricular de inserção na atenção primária a saúde. Interface (Botucatu). 2016;20(58):777-86. http://dx.doi.org/10.1590/1807-57622015.0692.

Aguiar AC. Preceptoria em programas de residência: ensino, pesquisa e gestão. Rio de Janeiro: CEPESC/IMS/UERJ; 2017. 207 p.

Lopes CMC, Bicudo AM, Zanolli ML. Qualificação como médico preceptor e a satisfação de seus clientes quanto à assistência recebida na UBS de origem. Rev Bras Educ Med. 2017;41(1):145-51. http://dx.doi.org/10.1590/1981-52712015v41n1rb20160048.

Ribeiro VMB, Leher EMT, Gomes MPC, Rocha HC, Mattos DS, Maia MV, et al. Formação de Professores e Preceptores no contexto de inovações curriculares. Rev Docencia Ens Super. 2015;5(2):57-77.

Ministério da Saúde (BR). Secretaria de Gestão do Trabalho e da Educação na Saúde. Manual de Apoio aos Gestores do SUS para a implementação do COAPES. Brasília (DF): Ministério da Saúde; 2015.

Botti SHO. O papel do preceptor na formação de medicos residentes:um estudo de residências em especialidades clínicas de um hospital de ensino [tese]. [Rio de Janeiro]: Fundação Oswaldo Cruz; 2009.

Missaka H. A prática pedagógica dos preceptores do internato em emergência e medicina Intensiva de um serviço público não universitário [dissertação]. [Rio de Janeiro]: Universidade Federal do Rio de Janeiro; 2010.

Barreto VHL, Marco MA. Visão de preceptores sobre o processo de ensino-aprendizagem no internato. Rev Bras Educ Med. 2014;38(1):94-102. http://dx.doi.org/10.1590/S0100-55022014000100013.

Ministério da Saúde (BR). Portaria n. 2.488, de 21 de outubro de 2011. Aprova a Política Nacional de Atenção Básica, estabelecendo a revisão de diretrizes e normas para a organização da Atenção Básica, para a Estratégia Saúde da Família (ESF) e o Programa de Agentes Comunitários de Saúde (PACS). Diário Oficial da União (DF); 24 out. 2011. Disponível em http://bvsms.saude.gov.br/bvs/saudelegis/gm/2011/prt2488_21_10_2011.html.

Dias LMN. A relevância da formação permanente dos profissionais em enfermagem [especialização]. [Governador Valadares]; 2014.

Afonso D. Desenvolvimento docente e da preceptoria: desenvolvimento de competência pedagógica para prática de preceptoria e docência. Cadernos ABEM. 2016:12;95-8.

Correa GT, Carbone TRJ, Rosa MFAP, Marinho GD, Ribeiro VMB, Motta JIJ. Uma análise crítica do discurso de preceptores em processo de formação pedagógica. Pro-Posições 2015;26(3):167-84. http://dx.doi.org/10.1590/0103-7307201507808.

Soares ACP, Maiorquim CR, Souza CRO, Vale DNF, Fujimoto DE, Fagundes FP, et al. A importância da regulamentação da preceptoria para a melhoria da qualidade dos programas de residência médica na Amazônia Ocidental. Cadernos ABEM 2013;9:14-22.

Heflin MT, Pinheiro SP, Kaminetzky CP, McNeill D. “So you want to be a clinician-educator...”: designing a clinician-educator curriculum for internal medicine residents. Med Teach. 2009;31(6):e233-40. http://dx.doi.org/10.1080/01421590802516772.

Santos AC, Moraes AVS, Costa ACAC, Lima BLG, Vieira CAL, Silva CDA, et al. Competências da preceptoria na residência médica. Cadernos ABEM 2013;9:40-45.

Ribeiro A. Competência pedagógica na prática da preceptoria na educação médica. Cadernos ABEM. 2016;12:99-101.

Azevedo GM, Souza AC, Daher DV, Cordeiro MMS. Preceptoria de enfermagem em saúde da família: definindo sua identidade e relevância para o Sistema Único de Saúde. Rev Pró-univerSUS. 2019;10(1):166-168. https://doi.org/10.21727/rpu.v10i1.1429.

Barros MAA, Ferreira PJO, Silva FMP, Holanda RA, Carneiro SN. Perfil Acadêmico do Preceptor de Enfermagem na Atenção Primária a Saúde. Rev Expr Catolica Saude. 2017;2(2):62-68.

Publicado
08-06-2020
Como Citar
1.
Ribeiro PKC, Firmo W da CA, Sousa MHSL, Figueiredo IA, Pacheco MAB. Os profissionais de saúde e a prática de preceptoria na atenção básica: assistência, formação e transformações possíveis. J Manag Prim Health Care [Internet]. 8º de junho de 2020 [citado 30º de outubro de 2020];12:1-18. Disponível em: https://jmphc.com.br/jmphc/article/view/977
Seção
Artigos Originais