Cultura e prática médica

trabalhando a competência cultural em um curso de graduação de medicina, São Paulo, Brasil

  • Maria Elisa Gonzalez Manso Centro Universitário São Camilo SP. PUC COGEAE SP.
Palavras-chave: Atenção Primária à Saúde, Antropologia Médica, Competência Cultural, Currículo

Resumo

A Antropologia da Saúde busca ampliar a visão que as áreas técnicas têm sobre o processo de adoecimento. O entendimento da influência da cultura, tanto na inserção em uma equipe de trabalho quanto na relação médico-paciente, propicia ao futuro médico um olhar crítico sobre a atual prática clínica tendo como pressupostos a empatia, o vínculo e a integralidade da atenção. Este foi o propósito do oferecimento da disciplina Cultura e Prática Clínica. O objetivo desde relato é apresentar a experiencia de seis anos de oferecimento desta disciplina em um curso de graduação de medicina em um Centro Universitário na cidade [...]. A disciplina é baseada na metodologia da problematização, buscando a influência dos aspectos culturais e as dificuldades trazidas pela forma como o ensino médico ainda se pauta no que tange à hiperespecialização e à visão fragmentada do ser humano em contraste com os princípios do SUS e a proposta de humanização da atenção. Os temas de maior recorrência discutidos ao longo destes anos referem-se aos conflitos entre as diferentes concepções que o médico e o enfermo têm do adoecer, do itinerário terapêutico e da adesão ao tratamento, bem como da visão que os educandos trazem de seu papel enquanto profissional de saúde. A dificuldade encontrada ao longo destes dois anos é o conflito entre a proposta do curso e a visão que o aluno traz do que é ser médico. Apesar das dificuldades de incorporar uma visão diferenciada [...]perante as necessidades das pessoas e do sistema de saúde brasileiro.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

Freire P. Pedagogia da Autonomia. São Paulo: Paz e Terra; 2009.

Manso MEG. Saúde e doença: do controle sobre os corpos à perspectiva do adoecido. São Paulo: Max Limonad; 2015.

Foucault M. A História da clínica. Rio de Janeiro: Forense Universitária; 2001.

Foucault M. A incorporação do hospital na tecnologia moderna. In: Motta MB, organizadores Ditos e escritos. Rio de Janeiro: Forense Universitária; 2011. p. 444-58.

Conselho Nacional de Educação, Câmara Educação Superior. Diretrizes Curriculares Nacionais do Curso de Graduação em Medicina. Parecer CNE/CES Nº 116/2014. Brasília, DF: CNES; 2014.

Manso MEG. Discutindo a cultura na prática médica: relato de experiência em um Centro Universitário de São Paulo. Anais Congr Int Humanida Humaniz Saude [=Blucher Medical Proceedings]. 2014;1(2):182. https://doi.org/10.5151/medpro-cihhs-10519.

Gérvas J, Pérez Fernández M. São e salvo e livre de intervenções médicas desnecessárias. Porto Alegre: Artmed; 2016.

Bobbio M. O doente imaginado: os riscos de uma medicina sem limites. São Paulo: Bamboo Editorial; 2016.

Manso MEG, Roth MC, Lopes RGC. Idosos vivenciando o diabetes nas redes sociais. Rev Portal Divulg. 2017;(53):63-8.

Frankenberg R. Unidas por la diferencia, divididas por la semejanza: la alegremente dolorosa posibilidad de la colaboración entre medicina y antropologia. Cuad Antropol Soc. 2003;(17):11-27. https://doi.org/10.34096/cas.i17.4596.

Targa LV, Oliveira FA. Cultura, saúde e o médica da família. In: Gusso G., organizador. Tratado de medicina da família e comunidade. Porto Alegre: Artmed; 2012.

Starfield B. Atenção primária: equilíbrio entre necessidades de saúde, serviços e tecnologia. Brasília, DF: UNESCO; 2002.

Kleinman A, Benson P. Anthropology in the Clinic: The Problem of Cultural Competency and How to Fix It. PLoS Med. 2006 Oct;3(10):e294. https://doi.org/10.1371/journal.pmed.0030294

Damasceno RF, Silva PLN. Competência cultural na atenção primária: algumas considerações. J Manag Prim Health Care. 2018;(9):e11. http://dx.doi.org/10.14295/jmphc.v9i0.435.

Stewart M, Brown JB, Weston WW, et al. Medicina centrada na pessoa: transformando o método clínico. Porto Alegre: Artmed; 2010.

Good BJ. Medicine, Rationality and Experience: An Anthropological Perspective. New York: Cambridge Press; 1994.

Berbel NN. “Problematization” and Problem-Based learning: different words or different ways? Interface - Comum, Saúde, Educ. 1998; 2(2):139-54.

Morin E. A cabeça bem-feita: repensar a reforma, reformar o pensamento. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil; 2000.

Masetto MT. Competência pedagógica do professor universitário. São Paulo: Summus; 2015.

Farias PAM, Martin ALAR, Cristo CS. Aprendizagem ativa na educação em saúde: percurso histórico e aplicações. Rev Bras Educ Med. 2015;39(1):143-58. http://dx.doi.org/10.1590/1981-52712015v39n1e00602014.

Vieira MNC, Pinto MPP. A Metodologia da Problematização (MP) como estratégia de integração ensino-serviço em cursos de graduação na área da saúde. Medicina (Ribeirão Preto). 2015;48(3):241-8. https://doi.org/10.11606/issn.2176-7262.v48i3p241-248.

Fernandes I. A pertinência da Medicina Narrativa na prática clínica. Rev Port Med Geral Fam. 2014;30(5):289-90.

Greenhalgh T, Hurwitz B. Why study narrative? BMJ. 1999 Jan 2;318(7175:45-50. http://dx.doi.org/10.1136/bmj.318.7175.48.

Charon R. O corpo que se conta: porque a medicina e as histórias precisam uma das outras. São Paulo: Letra e Voz; 2015.

Hurtwitz B. Narrative (in) medicine. In: Spinozzi P, Hurtwitz B, organizers. Discourses and narrations in the biosciences. Göttingen: Vandenhoeck & Ruprecht Unipress; 2011, p. 73-88.

Gallian D. A Literatura como remédio: os clássicos e a saúde da alma. São Paulo: Martin Claret; 2017.

Martinez-Hernaéz A. Evidencias y narrativas em la atención sanitaria. Tarragona, ES: URV; 2013.

Blasco PG. A arte médica: a formação e as virtudes do médico. RBM. 1969;50(Espec Oncologia 4):9-¬17.

Moreno-Altamirano L. Reflexiones sobre el trayecto salud-padecimiento enfermedad-atención: una mirada socioantropológica. Salud Publica Mex. 2007;49(1):63-70.

Publicado
07-04-2020
Como Citar
1.
Manso MEG. Cultura e prática médica: trabalhando a competência cultural em um curso de graduação de medicina, São Paulo, Brasil . J Manag Prim Health Care [Internet]. 7º de abril de 2020 [citado 9º de julho de 2020];12:1-15. Disponível em: https://jmphc.com.br/jmphc/article/view/956
Seção
Relato de Experiência