Qualidade de vida do portador de hipertensão arterial sistêmica assistido por uma estratégia de saúde da família de Minas Gerais

Autores

  • Patrick Leonardo Nogueira da Silva Universidade Estadual de Montes Claros http://orcid.org/0000-0003-2399-9526
  • Daniele Cristina Moreira Universidade Estadual de Montes Claros
  • Aurelina Gomes e Martins Universidade Estadual de Montes Claros
  • Elaine Cristina Santos Alves Universidade Estadual de Montes Claros

DOI:

https://doi.org/10.14295/jmphc.v10i0.516

Palavras-chave:

Hipertensão, Qualidade de Vida, Atenção Primária à Saúde

Resumo

A hipertensão arterial sistêmica é caracterizada por níveis elevados e sustentados da pressão arterial na qual se configura um dos principais problemas de saúde pública por se tratar de uma doença crônica, multifatorial e com alto potencial de risco para doenças cardiovasculares, cerebrovasculares e renais. Este estudo objetivou avaliar a qualidade de vida do portador de hipertensão arterial sistêmica assistido por uma Estratégia de Saúde da Família de Minas Gerais. Trata-se de um estudo descritivo, exploratório, transversal, com abordagem quantitativa, realizado com 253 hipertensos cadastrados em uma unidade básica de saúde. Utilizou-se um questionário semiestruturado, adaptado e validado na qual os dados foram apresentados em tabelas. O tratamento dos dados se deu através de análise estatística descritiva simples e análise de correlação empregando-se o teste qui-quadrado. Observou-se maior parte feminina na qual relataram que a hipertensão não afeta a qualidade de vida. O principal fator de interferência na qualidade de vida foi a ingestão de sal (valor p=0,05), o que demonstrou a importância de se controlar o consumo do mesmo para o controle da pressão arterial e para a prevenção de complicações. A percepção sobre qualidade de vida não se mostrou associada à condição crônica e sim com a postura do indivíduo frente à doença e às mudanças impostas no estilo de vida. O reconhecimento da gravidade da doença e a possibilidade do desenvolvimento de complicações podem ser utilizados pela equipe de saúde como ferramentas auxiliares na educação para a adoção de hábitos de vida saudáveis.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Patrick Leonardo Nogueira da Silva, Universidade Estadual de Montes Claros

Enfermeiro. Especialista em Saúde da Família. Universidade Estadual de Montes Claros/UNIMONTES, Montes Claros (MG), Brasil.

Daniele Cristina Moreira, Universidade Estadual de Montes Claros

Enfermeira, Universidade Estadual de Montes Claros/UNIMONTES, Montes Claros (MG), Brasil.

Aurelina Gomes e Martins, Universidade Estadual de Montes Claros

Enfermeira, Professora Mestre do Departamento de Enfermagem da Universidade Estadual de Montes Claros/UNIMONTES, Montes Claros (MG), Brasil.

Elaine Cristina Santos Alves, Universidade Estadual de Montes Claros

Enfermeira, Professora Mestre do Departamento de Enfermagem da Universidade Estadual de Montes Claros/UNIMONTES, Montes Claros (MG), Brasil.

Referências

Brasil. Ministério da Saúde. Estratégias para o cuidado da pessoa com doença crônica: hipertensão arterial sistêmica. Brasília, DF: MS; 2013. (Cadernos de atenção básica, nº 37).

Silva PLN, Rodrigues GF, Rodrigues GF, Mota EC, Souto SGT, Gonçalves RPF. Avaliação epidemiológica dos hipertensos cadastrados em uma unidade básica de saúde. Rev Enferm UFPE on line. 2014;8(8):2617-25. https://doi.org/10.5205/1981-8963-v8i8a9963p2617-2625-2014.

Sociedade Brasileira de Cardiologia. VI Diretrizes Brasileiras de Hipertensão. Arq Bras Cardiol. 2010 [citado 28 ago. 2019];95(1):1-51. Disponível em: http://publicacoes.cardiol.br/consenso/2010/Diretriz_hipertensao_associados.pdf.

Borges JWP, Pinheiro NMG, Souza ACC. Hipertensão comunicada e hipertensão compreendida: saberes e práticas de enfermagem em um programa de saúde da família de Fortaleza, Ceará. Cienc Saude Colet. 2012;17(1):179-89. http://dx.doi.org/10.1590/S1413-81232012000100020.

Oliveira RAR, Mota Júnior RJ, Tavares DDF, Moreira OC, Marins JCB. Fatores associados à pressão arterial elevada em professores da educação básica. Rev Educ Fis UEM. 2015;26(1):119-29. http://dx.doi.org/10.4025/reveducfis.v26i1.24693.

Povoa TIR, Jardim PCBV, Sousa ALL, Jardim TSV, Souza WKSB, Jardim LSV. Treinamento aeróbio e resistido, qualidade de vida e capacidade funcional de hipertensas. Rev Bras Med Esporte. 2014;20(1):36-41. http://dx.doi.org/10.1590/S1517-86922014000100007.

Soutello ALS. Qualidade de vida e hipertensão: avaliação ampliada do desempenho psicométrico da versão brasileira do “Mini-Cuestionario de Calidad de vida en la Hipertensión Arterial - Minichal” [dissertação]. Campinas (SP): Universidade Estadual de Campinas, Faculdade de Ciências Médicas; 2010.

Brasil, Ministério da Saúde, Conselho Nacional de Saúde. Resolução nº 466, de 12 de dezembro de 2012. Aprova as diretrizes e normas regulamentadoras para pesquisas envolvendo seres humanos. Brasília, DF: Diário Oficial da União; 13 jun. 2016.

Ribeiro AG, Cotta RMM, Ribeiro SMR, Dias CMGC, Araújo RMA. Representações sociais de mulheres portadoras de hipertensão arterial sobre sua enfermidade: desatando os nós da lacuna da adesão ao tratamento na agenda da Saúde da Família. Physis. 2011;21(1):87-112. http://dx.doi.org/10.1590/S0103-73312011000100006.

Corrêa-Neto VG, Sperandei S, Silva LAI, Maranhão-Neto GA, Palma A. Hipertensão arterial em adolescentes do Rio de Janeiro: prevalência e associação com atividade física e obesidade. Cienc Saude Colet. 2014;19(6):1699-708. http://dx.doi.org/10.1590/1413-81232014196.05262013.

Tavares DMS, Paiva MM, Dias FA, Diniz MA, Martins NPF. Características sociodemográficas e qualidade de vida de idosos com hipertensão arterial sistêmica que residem na zona rural: importância do papel do enfermeiro. Rev Latino-Am Enferm. 2013;21(2):515-22. https://doi.org/10.1590/S0104-11692013000200007.

Alves MCB, Brito FN, Lima LM, Matos VC, Santos JC, Leite DKM, et al. A qualidade de vida de pacientes hipertensos em uma estratégia saúde da família, Ananindeua - Pará. Rev Eletr Gestao Saude. 2013;4(1):1378-90.

Almeida LML, Neves JV, Amaral EO, Silva PLN. Prevalência da hipertensão arterial sistêmica em uma Estratégia Saúde da Família de um município norte mineiro. Rev Eletr Gestao Saude. 2015;6(1):349-65.

Carvalho MAN, Silva IBS, Ramos SBP, Coelho LF, Gonçalves ID, Figueiredo Neto JA. Qualidade de vida de pacientes hipertensos e comparação entre dois instrumentos de medida de QVRS. Arq Bras Cardiol. 2012;98(5):442-51. http://dx.doi.org/10.1590/S0066-782X2012005000032.

Leal AA. Migração interna em cidades médias: aspectos socioeconômicos e espacialidade dos imigrantes de Montes Claros - MG a partir de análises do Censo Demográfico de 2010 [dissertação]. Montes Claros (MG): Universidade Estadual de Montes Claros; 2013.

Andrade SSA, Stopa SR, Brito AS, Chueri PS, Szwarcwald CL, Malta DC. Prevalência de hipertensão arterial autorreferida na população brasileira: análise da Pesquisa Nacional de Saúde, 2013. Epidemiol Serv Saude. 2015;24(2):297-304. http://dx.doi.org/10.5123/S1679-49742015000200012.

Bezerra SMMS, Veiga EV. Qualidade de vida entre pessoas com hipertensão arterial atendidos em unidades de estratégias de saúde da família. Rev Enferm UFPE on line. 2013;7(esp):7055-63. http://dx.doi.org/10.5205/reuol.4767-42136-1-ED.0712esp201313.

Ribeiro IJS, Boery RNO, Casotti CA, Freire IV, Boery EN. Qualidade de vida de hipertensos atendidos na atenção primária à saúde. Saude Debate. 2015;39(105):432-40. http://dx.doi.org/10.1590/0103-110420151050002011.

Mian NC, Gasparino RC. Qualidade de vida de hipertensos em tratamento ambulatorial. Cogitare Enferm. 2012;17(3):519-23. http://dx.doi.org/10.5380/ce.v17i3.29294.

Nascente FMN, Jardim PCBV, Peixoto MRG, Monego ET, Moreira HG, Vitorino PVO, et al. Hipertensão arterial e sua correlação com alguns fatores de risco em cidade brasileira de pequeno porte. Arq Bras Cardiol. 2010;95(4):502-9. http://dx.doi.org/10.1590/S0066-782X2010005000113.

Oliveira CJ, Moreira TMM. Caracterização do tratamento não-farmacológico de idosos portadores de hipertensão arterial. Rev Rene. 2010;11(1):76-85.

Cavalari E, Nogueira MS, Fava SMCL, Cesarino CB, Martin JFV. Adesão ao tratamento: estudo entre portadores de hipertensão arterial em seguimento ambulatorial. Rev Enferm UERJ. 2012;20(1):67-72.

Perin MS, Cornélio ME, Rodrigues RCM, Gallani MCBJ. Caracterização do consumo de sal entre hipertensos segundo fatores sociodemográficos e clínicos. Rev Latino-Am Enferm. 2013;21(5):[09 telas].

Costa FP, Machado SH. O consumo de sal e alimentos ricos em sódio pode influenciar na pressão arterial das crianças? Cienc Saude Colet. 2010;15(supl. 1):1383-9.

Gomes F, Telo DF, Souza HP, Nicolau JC, Halpern A, Serrano Junior CV. Obesidade e doença arterial coronariana: papel da inflamação vascular. Arq Bras Cardiol. 2010;94(2):255-61. http://dx.doi.org/10.1590/S1413-81232010000700048.

Massa KHR, Guimarães VV, César CLG, Barros MBA, Carandina L, Goldbaum M, et al. Prática de atividade física em quatro domínios em idosos com hipertensão arterial referida no Município de São Paulo: estudo de base populacional. Rev Bras Ativ Fis Saude. 2012;17(1):7-13. https://doi.org/10.12820/rbafs.v.17n1p7-13.

Helena ETS, Nemes MIB, Eluf-Neto J. Avaliação da assistência a pessoas com hipertensão arterial em Unidades de Estratégia Saúde da Família. Saude Soc. 2010;19(3):614-26. http://dx.doi.org/10.1590/S0104-12902010000300013.

Duarte MTC, Cyrino AP, Cerqueira ATAR, Nemes MIB, Iyda M. Motivos do abandono do seguimento médico no cuidado a portadores de hipertensão arterial: a perspectiva do sujeito. Cienc Saude Colet. 2010;15(5):2603-10. http://dx.doi.org/10.1590/S1413-81232010000500034.

Mendonça FF, Nunes EFPA. Avaliação de grupos de educação em saúde para pessoas com doenças crônicas. Trab Educ Saude. 2015;13(2):397-409. http://dx.doi.org/10.1590/1981-7746-sip00053.

Downloads

Publicado

18-09-2019

Como Citar

1.
da Silva PLN, Moreira DC, e Martins AG, Alves ECS. Qualidade de vida do portador de hipertensão arterial sistêmica assistido por uma estratégia de saúde da família de Minas Gerais. J Manag Prim Health Care [Internet]. 18º de setembro de 2019 [citado 29º de fevereiro de 2024];10. Disponível em: https://jmphc.com.br/jmphc/article/view/516

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)

1 2 > >>