Modelo lógico e matriz de julgamento para apreciação dos Serviços Farmacêuticos na Atenção Primária em Saúde Brasileira

Autores

  • Nathalia Cano Pereira Wirral Council https://orcid.org/0000-0001-7932-2835
  • Vera Lucia Luiza Departamento de Política de Medicamentos e Assistência Farmacêutica, Escola Nacional de Saúde Pública Sérgio Arouca, Fundação Oswaldo Cruz. https://orcid.org/0000-0001-6245-7522
  • Luiz Villarinho Pereira Mendes École des hautes études en sciences sociales, Centre de recherche médecine, sciences, santé, santé mentale, société
  • Karen Sarmento Costa Núcleo de Estudos de Políticas Públicas, Universidade Estadual de Campinas

Palavras-chave:

Avaliação em Saúde, Atenção Primária à Saúde, Implementação de Políticas, Serviços Farmacêuticos

Resumo

Este estudo teve como objetivo apresentar a elaboração de dois instrumentos avaliativos - o modelo lógico (MLog) e a matriz de julgamento (MJul) destinados a mensurar o nível de implementação dos Serviços Farmacêuticos na Atenção Primária à Saúde no Brasil – APS. Os dados do estudo fonte “Assistência Farmacêutica nas Redes de Atenção à Saúde: um Recorte nas Regiões do Projeto Qualisus-Rede” desenvolvido pelo Ministério da Saúde e o Banco Mundial de 2013 a 2015. Foi utilizado com orientador na construção dos instrumentos. O MLog envolveu a adaptação de modelo preexistente, análise crítica do estudo fonte, análise documental e reunião com especialistas. A elaboração da MJul se deu a partir do julgamento dos especialistas acerca da relevância de cada componente do MLog, o que, juntamente com dados de literatura, possibilitou subsidiar a formulação dos indicadores e demais critérios. O MLog final possui 9 componentes, sendo 4 na dimensão gestão do medicamento, 4 na gestão do cuidado e 1 transversal, 22 atividades, 21 produtos, 17 resultados imediatos e 12 resultados intermediários. Estudos avaliativos são estratégicos não apenas para implementação das políticas farmacêutica, mas também para consolidação da APS. Ao descrever as etapas de elaboração de um instrumento avaliativo, o presente estudo não apenas propõe indicadores adaptados à gestão atual dos serviços farmacêuticos no Brasil, mas também possibilita facilmente a adaptação desse instrumento a qualquer outro contexto.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

Ministério da Saúde (BR). Portaria n. 3.916, de 30 de outubro de 1998. Aprova Política Nacional de Medicamentos [Internet]. Brasília, DF: MS; 1998[citado 16 set. 2017]. Disponível em: http://bvsms.saude.gov.br/bvs/saudelegis/gm/1998/prt3916_30_10_1998.html

Ministério da Saúde (BR). Portaria MS/GM n. 2.436, de 21 de setembro de 2017. Aprova a política nacional de atenção básica, estabelecendo a revisão de diretrizes para a organização da atenção básica, no âmbito do sistema único de saúde (SUS) [Internet]. Brasília, DF: MS; 2017[citado 25 jun. 2021]. Disponível em: https://bvsms.saude.gov.br/bvs/saudelegis/gm/2017/prt2436_22_09_2017.html

Ministério da Saúde (BR). Práticas Farmacêuticas no núcleo de apoio à saúde da família (Nasf AB). Brasília, DF: MS; 2018[citado 8 maio 2019]. Disponível em: http://189.28.128.100/dab/docs/portaldab/publicacoes/praticas_farmaceuticas_nasfab.pdf

Pereira NC, Luiza VL, Cruz MM. Serviços farmacêuticos na atenção primária no município do Rio de Janeiro: um estudo de avaliabilidade. Saude Debate. 2015;39(105):451-68. https://doi.org/10.1590/0103-110420151050002013.

Viana ALÁ, Machado CV. Federative coordination and decentralization: Brazilian experience in health. Cien Saude Colet. 2009;14(3):807-17. https://doi.org/10.1590/s1413-81232009000300016.

Rodrigues PS, Cruz MS, Tavares NUL. Avaliação da implantação do Eixo estrutura do programa nacional de qualificação da assistência farmacêutica no SUS. Saude Debate. 2017;41(spe):192-208. https://doi.org/10.1590/0103-11042017S15.

Faraco EB, Rover MM, Farias MR, Leite SN. Desenvolvimento de um protocolo de indicadores para avaliação nacional da capacidade de gestão da assistência farmacêutica na atenção primária à saúde. Rev Adm Saude. 2020;20(78):e204. https://doi.org/10.23973/ras.78.204.

Barbosa MM, Garcia MM, Nascimento RCRM, Reis EA, Guerra Junior AA, Acurcio FA, et al. Avaliação da infraestrutura da assistência farmacêutica no sistema único de saúde em Minas Gerais. Cienc Saude Colet. 2017;22(8):2475-86. https://doi.org/10.1590/1413-81232017228.10952017.

Bezerra LCA, Alves CKA, Reis YAC, Samico I, Felisberto E, Carvalho ALB, et al. Identificação e caracterização dos elementos constituintes de uma intervenção: pré-avaliação da política ParticipaSUS. Cienc Saude Colet. 2012;17(4):883-900. https://doi.org/10.1590/S1413-81232012000400011.

Anderson LA, GwaltneyMK, Sundra DL, Brownson RC, Kane M, Cross AW, et al. Using concept mapping to develop a logic model for the prevention research centers program. Prev Chronic Dis. 2006[citado 14 set 2021];3(1):1-9. Disponível em: http://www.cdc.gov/pcd/issues/2006/jan/05_0153.htm

Jones C, Gannon B, Wakai A, O’Sullivan R. A systematic review of the cost of data collection for performance monitoring in hospitals. Syst Rev. 2015;4:38. https://doi.org/10.1186/s13643-015-0013-7.

Araújo SQ, Costa KS, Luiza VL, Lavras C, Santana EA, Tavares NUL. Organização dos serviços farmacêuticos no sistema único de saúde em regiões de saúde. Cienc Saude Colet. 2017;22(4):1181-91. https://doi.org/10.1590/1413-81232017224.27042016

Rodrigues FF, Aquino R, Medina MG. Avaliação dos serviços farmacêuticos na atenção primária à saúde no cuidado ao paciente com tuberculose. Saude Debate. 2018;42(spe 2):173-87.

Araújo SQ, Costa KS, Luiza VL, Lavras C, Santana EA, Tavares NUL. Organização dos serviços farmacêuticos no sistema único de saúde em regiões de saúde. Cienc Saude Colet.2017;22(4):1181-91. https://doi.org/10.1590/1413-81232017224.27042016

Correr CJ, Otuki MF, Soler O. Assistência farmacêutica integrada ao processo de cuidado em saúde: gestão clínica do medicamento. Rev Panamazonica Saude. 2011;2(3):41-9. http://doi.org/10.5123/S2176-62232011000300006.

Pereira NC. Monitoramento do desempenho dos serviços farmacêuticos na atenção primária à saúde: buscando a qualificação da gestão [dissertação]. Rio de Janeiro: Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca; 2013.

Ministério da Saúde (BR). Diretrizes para estruturação de farmácias no âmbito do sistema único de saúde [Internet]. Brasília, DF: MS; 2009[citado 20 abr 2019]. (Série A. Normas e Manuais Técnicos). Disponível em: https://farmacia.ufba.br/sites/farmacia.ufba.br/files/diretrizes_de_farmacias_no_sus.pdf

Ministério da Saúde (BR). Serviços farmacêuticos na atenção básica à saúde [Internet]. Brasília, DF: MS; 2014[citado 20 abr 2019]. (Cuidado farmacêutico na atenção básica Caderno 1). Disponível em: http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/servicos_farmaceuticos_atencao_basica_saude.pdf

Cosendey MAE, Hartz ZMA, Bermudez JAZ. Validation of a tool for assessing the quality of pharmaceutical services. Cad Saude Publica. 2003;19(2):395-406. http://doi.org/10.1590/s0102-311x2003000200006.

Ministério da Saúde (BR). Resolução n. 338, de 06 de maio de 2004. Aprova a política nacional de assistência farmacêutica. Brasília, DF: MS; 2004.

W.K. Kellogg Foundation. Logic model development guide: using logic models to bring together planning, evaluation, and action. Battle Creek: W.K. Kellogg Foundation; 2004.

Pan American Health Organization. Servicios farmacéuticos basados en la atención primaria de salud: documento de posición de la OPS/OMS. Washington, D: PAHO; 2013[citado 20 abr 2019]. Disponível em: http://iris.paho.org/xmlui/handle/123456789/3193

Conselho Federal de Farmácia (BR). Serviços farmacêuticos diretamente destinados ao paciente, à família e à comunidade: contextualização e arcabouço conceitual. Brasília, DF: CFF; 2016.

Ferreira GSA, Salgado Junior W, Costa AL. Construção e análise de indicadores de desempenho do acesso à atenção especializada do SUS. Saude Debate. 2019;43(123):1003-14.

Guerra Júnior AA, Camuzi RC. Logística farmacêutica. In: Osorio-de-Castro CGS, Luiza VL, Castillo SR, Oliveira MA, Jaramillo NM, editores. Assistência farmacêutica: gestão e prática para profissionais da saúde. Rio de Janeiro: Ed. FIOCRUZ; 2014. p. 89-118.

Wannmacher L. Seleção de medicamentos. In: Osorio-de-Castro CGS, Luiza VL, Castillo SR, Oliveira MA, Jaramillo NM, editores. Assistência farmacêutica: gestão e prática para profissionais da saúde. Rio de Janeiro: Ed. FIOCRUZ; 2014. p. 79-87.

Ali SA, Ali SA, Suhail N. Importance of storing medicines on required temperature in pharmacies and role of community pharmacies in rural areas: literature review. i-manager’s J Nurs. 2016;6(2):32-42. http://doi.org/10.26634/jnur.6.2.6045.

Sartor VB, Freitas SFT. Modelo para avaliação do serviço de dispensação de medicamentos na atenção básica à saúde. Rev Saude Publica. 2014;48(5):827-36. https://doi.org/10.1590/S0034-8910.2014048005135.

Leite SN, Bernardo NLMC, Álvares J, Guerra Junior AA, Costa EA, Acurcio F, et al. Medicine dispensing service in primary health care of SUS. Rev Saude Publica. 2017;51(suppl 2):11s. https://doi.org/10.11606/S1518-8787.2017051007121.

Firmino PYM, Vasconcelos TO, Ferreira CC, Moreira LM, Romero NR, Dias LA, et al. Cardiovascular risk rate in hypertensive patients attended in primary health care units: the influence of pharmaceutical care. Braz J Pharm Sci. 2015;51(3):617-27. https://doi.org/10.1590/S1984-82502015000300013.

Conselho Federal de Farmácia (BR). Lei n. 13.021, de 8 de agosto de 2014. Dispõe sobre o exercício e fiscalização das atividades farmacêuticas. Brasília, DF]: CFF; 2014.

Ivama-Brummell AM, Junior DL, Sakai MH. Recursos humanos para assistência farmacêutica no sistema único de saúde. In: Osorio-de-Castro CGS, Luiza VL, Castillo SR, Oliveira MA, Jaramillo NM, editores. Assistência farmacêutica: gestão e prática para profissionais da saúde. Rio de Janeiro: Ed. FIOCRUZ; 2014. p. 69-68.

Castilho SR, Heleodoro NM. Informação de Medicamentos. In: Osorio-de-Castro CGS, Luiza VL, Castillo SR, Oliveira MA, Jaramillo NM, editores. Assistência farmacêutica: gestão e prática para profissionais da saúde. Rio de Janeiro: Ed. FIOCRUZ; 2014. p. 135-43.

Bermudez JAZ, Esher A, Osorio-de-Castro CGS, Vasconcelos DMM, Chaves GC, Oliveira MA, et al. Pharmaceutical services and comprehensiveness 30 years after the advent of Brazil’s unified health system. Cien Saude Colet. 2018;23(6):1937-49. https://doi.org/10.1590/1413-81232018236.09022018.

Santos RI. Concepções de assistência farmacêutica no contexto histórico brasileiro [tese]. Florianópolis: Universidade Federal de Santa Catarina; 2011.

Downloads

Publicado

2021-09-29

Como Citar

1.
Cano Pereira N, Lucia Luiza V, Villarinho Pereira Mendes L, Sarmento Costa K. Modelo lógico e matriz de julgamento para apreciação dos Serviços Farmacêuticos na Atenção Primária em Saúde Brasileira. J Manag Prim Health Care [Internet]. 29º de setembro de 2021 [citado 8º de dezembro de 2021];13:e013. Disponível em: https://jmphc.com.br/jmphc/article/view/1163

Edição

Seção

Artigos Originais