Arteterapia como estratégia de cuidado em saúde mental no âmbito da atenção primária

um relato de experiência

Autores

Palavras-chave:

Saúde Mental, Atenção Primária à Saúde, Arteterapia

Resumo

O programa de Residência Multiprofissional Integrada em Saúde da Família e Comunidade – RMISF coordenado pela Universidade Federal do Acre planeja e desenvolve atividades interprofissionais, visando à efetivação dos princípios e das diretrizes do Sistema Único de Saúde – SUS no âmbito da Atenção Primária à Saúde – APS. Este artigo consiste em um estudo qualitativo descritivo, do tipo relato de experiência, sobre a utilização da arteterapia como prática de cuidado em saúde mental na sala de espera de uma Unidade Básica de Saúde, em Rio Branco (AC). As ações de arteterapia como pintura, desenho livre, construção de história coletiva, confecção de jogos com materiais recicláveis, capa protetora para a caderneta da criança, dentre outras, foram realizadas a partir do projeto intitulado “Arte, Vida e Saúde”, entre agosto e setembro de 2019. Participaram dessa experiência os residentes do programa de RMISF e outros profissionais de saúde da unidade, com enfoque na atenção à usuários e acompanhantes que aguardavam atendimento na sala de espera da UBS. Observou-se que as atividades desenvolvidas por meio da expressão artística e acolhimento, favoreceram o reconhecimento das necessidades dos usuários e promoção da saúde mental, estimulando funções cognitivas e motoras; fomentando a autonomia e o protagonismo dos sujeitos no desenvolvimento da corresponsabilização pelo próprio bem-estar.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Cibele Silva do Vale, UNIVERSIDADE FEDERAL DO ACRE, Centro de Ciências da Saúde e do Desporto, Rio Branco – AC, Brasil.

Psicóloga pela Faculdade Barão do Rio Branco - União Educacional do Norte, egressa do Programa de Residência Multiprofissional Integrada em Saúde da Família e Comunidade - Universidade Federal do Acre, Centro de Ciências da Saúde e do Desporto, Rio Branco – AC, Brasil.

Anne Karoliny Carvalho Mendonça Ribeiro, Faculdade Barão do Rio Branco - União Educacional do Norte, Rio Branco - AC, Brasil

Psicóloga pela Faculdade Barão do Rio Branco - União Educacional do Norte. Pós-Graduada em Avaliação em Psicologia Clínica; Intervenção Psicossocial no Contexto das Políticas Públicas e Educação Inclusiva.

Natana Souza da Silva, Secretaria Municipal de Saúde de Rio Branco - Acre, Brasil

Unidade Básica de Saúde – Secretaria Municipal de Saúde de Rio Branco.

Rozilaine Redi Lago, Universidade Federal do Acre, Centro de Ciências da Saúde e do Desporto, Rio Branco, AC, Brasil.

Universidade Federal do Acre, Centro de Ciências da Saúde e do Desporto, Rio Branco, AC, Brasil.

Samara Devai Lago, Faculdade São Lucas – Porto Velho, RO, Brasil.

Bacharelado em Psicologia – Faculdade São Lucas – Porto Velho, RO, Brasil.

Referências

Ministério da Saúde (BR). Política nacional de promoção da saúde (PNPS): revisão da portaria MS/GM n. 687, de 30 de março de 2006 [Internet]. Brasília, DF: MS; 2015[citado 19 nov. 2020]. Disponível em: https://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/pnps_revisao_portaria_687.pdf

Prado NMBL, Santos AM. Promoção da saúde na atenção primária à saúde: sistematização de desafios e estratégias intersetoriais. Saude Debate. 2018;42(spe 1):379-95. https://doi.org/10.1590/0103-11042018S126.

Arantes LJ, Shimizu HE, Merchán-Hamann E. Contribuições e desafios da estratégia saúde da família na atenção primária à saúde no Brasil: revisão da literatura. Cienc Saude Colet. 2016;21(5):1499-509. https://doi.org/10.1590/1413-81232015215.19602015.

União Brasileira de Associações de Arteterapia. Contribuição da arteterapia para a atenção integral do SUS [Internet]. [local não informado]: UBAAT; 2019[citado 1 jun. 2020]. Disponível em: http://aatergs.com.br/wp-content/uploads/2019/07/Cartilha-de-orienta%C3%A7%C3%A3o-para-inser%C3%A7%C3%A3o-da-arteterapia-nas-praticas-complementares-do-SUS.pdf

Oliveira JHT. A arte como suporte ao processo criativo na comunicação. Rev Eletronica FaC [Internet]. 2012[citado 4 abr. 2021];3(1):1-12. Disponível em: https://www.faculdadescearenses.edu.br/revista2/edicoes/vol3-1-2012/artigo3.pdf

Barroco SMS, Superti, T. Vigotski e o estudo da psicologia da arte: contribuições para o desenvolvimento humano. Psicol Soc. 2014;26(1):22-31. https://doi.org/10.1590/S0102-71822014000100004.

Silva MC, Carvalho EM, Lima RD. Arteterapia gestáltica e suas relações com o processo criativo. IGT Rede [Internet]. 2013[citado 5 abr. 2021];10(18):18-36. Disponível em: http://pepsic.bvsalud.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1807-25262013000100003&lng=pt&nrm=iso

Cintra MEZ, Macul PGS. Uma experiência de arteterapia aplicada em na sala de espera de um centro de acolhimento para refugiados. Psicol Am Lat [Internet]. 2006[citado 5 abr. 2021];(5). Disponível em: http://pepsic.bvsalud.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1870-350X2006000100016

Tavares JR, Prestes VR. Arteterapia como estratégia psicológica para saúde mental. Rev Iniciação Cient Unifamma. 2018;3(1):1-17.

Ministério da Saúde (BR). Resolução n. 510 de 7 de abril de 2016. Trata sobre as diretrizes e normas regulamentadoras de pesquisa em ciências humanas e sociais [Internet]. Brasília, DF. Brasília, DF: MS; 2016[citado 10 ago. 2021]. Disponível em: http://conselho.saude.gov.br/resolucoes/2016/Reso510.pdf

Teixeira ER, Veloso RC. O grupo em sala de espera: território de práticas e representações em saúde. Texto Contexto Enferm. 2006;15(2):320-5. https://doi.org/10.1590/S0104-07072006000200017.

Silva JC, Contim D, Ohl RIB, Chavaglia SRR, Amaral SEM. Percepção dos residentes sobre a sua atuação no programa de residência multiprofissional. Acta Paul Enferm. 2015;28(2):132-8. https://doi.org/10.1590/1982-0194201500023.

Milani L, Germani ARM. Sala de espera: um cenário para a promoção de saúde. Rev Enfermagem [Internet]. 2012[citado 21 nov. 2020];8(8):114-127. Disponível em:

Lopes EM, Anjos SJSB, Pinheiro AKB. Tendência das ações de educação em saúde realizadas por enfermeiros no Brasil. Rev Enferm UERJ. 2009;17(2):273-7.

Ciornai S. Arte-terapia: o resgate da criatividade na vida. In: Carvalho MMMJ, organizadora. A arte cura?: recursos artísticos em psicoterapia. Campinas, SP: Editorial Psy I; 1995. p. 59-63.

Souza ASL. O desenho como instrumento diagnóstico: reflexões a partir da psicanálise. Bol Psicol [Internet]. 2011[citado 20 nov. 2020];61(135). Disponível em: http://pepsic.bvsalud.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0006-59432011000200007

Marques ELL, Delfino TE. Contribuições das técnicas de respiração, relaxamento e mindfulness no manejo do estresse ocupacional. psicologia.pt [Internet]. 20 mar. 2016[citado 12 abr. 2021]. Disponível em: https://www.psicologia.pt/artigos/textos/A0965.pdf

Marciano RP, Amaral WN. O vínculo mãe-bebê da gestação ao pós-parto: uma revisão sistemática de artigos empíricos publicados na língua portuguesa. Feminina [Internet]. 2015[citado 10 abr. 2021];43(4):155-9. Disponível em: http://files.bvs.br/upload/S/0100-7254/2015/v43n4/a5307.pdf

Downloads

Publicado

2021-10-06

Como Citar

1.
Silva do Vale C, Carvalho Mendonça Ribeiro AK, Souza da Silva N, Redi Lago R, Devai Lago S. Arteterapia como estratégia de cuidado em saúde mental no âmbito da atenção primária: um relato de experiência. J Manag Prim Health Care [Internet]. 6º de outubro de 2021 [citado 8º de dezembro de 2021];13:e014. Disponível em: https://jmphc.com.br/jmphc/article/view/1162

Edição

Seção

Relato de Experiência