A utilização das Práticas Integrativas e Complementares em Saúde e a atuação multiprofissional no atendimento odontológico

um relato de experiência

Autores

  • Inglide da Silveira Pereira Fundação Estatal Saúde da Família- FESF/SUS
  • Juliana Kely Fagundes Silva Fundação Estatal Saúde da Família- FESF/SUS
  • Mariana Machado Aragão Fundação Estatal Saúde da Família- FESF/SUS

DOI:

https://doi.org/10.14295/jmphc.v13.1150

Palavras-chave:

Estratégia Saúde da Família, Equipe Multiprofissional, Interconsulta, Terapias Complementares, Saúde Bucal

Resumo

A percepção do cirurgião-dentista na Atenção Primária à Saúde acerca do cuidado integral do usuário perpassa pela compreensão da importância da atuação em equipe junto ao conceito da clínica ampliada e compartilhada. Dentre as possibilidades de atuação na perspectiva da interconsulta, as Práticas Integrativas e Complementares em Saúde compõem a diversidade de nuances do cuidar ofertadas pelo Sistema Único de Saúde. O objetivo deste trabalho é relatar a experiência exitosa da utilização dessas práticas durante o atendimento odontológico realizado de forma multiprofissional e interdisciplinar em uma Unidade de Saúde da Família – USF de Camaçari/Bahia. Esse relato foi construído a partir do processo de reflexão diante da vivência de condução multiprofissional de atendimento e procedimento odontológico utilizando-se de musicoterapia, reiki, auriculoterapia e meditação em interconsulta, que favoreceu a mudança comportamental da usuária, reduzindo seus níveis de medo e angústia ao ambiente do consultório, além de proporcionar um procedimento rápido e tranquilo. A aplicação dessas práticas durante os atendimentos odontológicos ainda é pouco difundida. Torna-se fundamental a ampliação do campo científico acerca do tema, incluindo o relato de profissionais quanto aos resultados obtidos em sua aplicação, possibilitando a construção de novos conceitos e técnicas, melhorando o cuidado e a assistência ao usuário.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

Brasil. Constituição da República Federativa do Brasil. Brasília, DF: Senado Federal; 1988.

Matuda CG, Aguiar DML, Frazão P. Cooperação interprofissional e a reforma sanitária no Brasil: implicações para o modelo de atenção à saúde. Saude Soc. 2013;22(1): 173-86. https://doi.org/10.1590/S0104-12902013000100016.

Botazzo C. Saúde bucal coletiva: um conceito em permanente construção. São Paulo: edição do autor; 1991.

Ministério da Saúde (BR). Saúde da família: uma estratégia para a reorientação do modelo assistencial. Brasília, DF: MS, 1997.

Ministério da Saúde (BR). Portaria n. 267, de 06 de março de 2001. Aprova as normas e diretrizes de inclusão da saúde bucal na estratégia do Programa de Saúde da Família (PSF). Brasília, DF: Diário Oficial da União; 07 Mar 2001.

Ministério da Saúde (BR). Diretrizes da política nacional de saúde bucal. Brasília, DF: MS, 2004.

Ministério da Saúde (BR). Clínica ampliada e compartilhada: HumanizaSUS. Brasília, DF: MS, 2009.

Luz AR, Vianna MS, Silqueira SMF, Silva PC, Chagas HÁ, Figueiredo JO, et al. Consulta compartilhada: uma perspectiva da clínica ampliada na visão da residência multiprofissional. Rev Eletron Gestao Saude [Internet]. 2016 [citado 14 nov 2020];7(1):270-81. Disponível em: https://periodicos.unb.br/index.php/rgs/article/view/3419

Ministério da Saúde (BR). Guia prático de matriciamento em saúde mental. Brasília, DF: MS; 2011.

Galván GB. Equipes de saúde: o desafio da integração disciplinar. Rev SBPH [Internet]. 2007 [citado 14 nov 2020];10(2):53-61. Disponível em: http://pepsic.bvsalud.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1516-08582007000200007

Ministério da Saúde (BR). Política nacional de práticas integrativas e complementares no SUS. Brasília, DF: MS; 2006.

Conselho Federal de Odontologia (BR). Resolução CFO-82, de 25 de setembro de 2008. Reconhece e regulamenta o uso pelo cirurgião-dentista de práticas integrativas e complementares à saúde bucal. Brasília, DF: CFO; 2008.

Conselho Federal de Odontologia (BR). Resolução CFO-160, de 2 de outubro de 2015. Reconhece a Acupuntura, a Homeopatia e a Odontologia do Esporte como especialidades odontológicas. Brasília, DF: CFO; 2015.

Conselho Federal de Odontologia (BR). Resolução CFO-165, de 24 de novembro de 2015. Reconhece e regulamenta o uso pelo Cirurgião-Dentista da prática integrativa e complementar à saúde bucal: Odontologia Antroposófica. Brasília, DF: CFO; 2015.

Conselho Federal de Odontologia (BR). Resolução CFO-166, de 24 de novembro de 2015. Reconhece e regulamenta o uso pelo Cirurgião-Dentista da prática da Ozonioterapia. Brasília, DF: CFO; 2015.

Cunha MS, Sá MC. A visita domiciliar na estratégia de saúde da família: os desafios de se mover no território. Interface (Botucatu). 2013;17(44):61-73. https://doi.org/10.1590/S1414-32832013000100006.

Bizerril DO, Saldanha KGH, Silva JP, Almeida JRS, Almeida MEL. Papel do cirurgião-dentista nas visitas domiciliares: atenção em saúde bucal. Rev Bras Med Fam Comunidade. 2015; 0(37):1-8. https://doi.org/10.5712/rbmfc10(37)1020.

Ministério da Saúde (BR). Portaria n. 849, de 27 de março de 2017. Inclui a Arteterapia, Ayurveda, Biodança, Dança Circular, Meditação, Musicoterapia, Naturopatia, Osteopatia, Quiropraxia, Reflexoterapia, Reiki, Shantala, Terapia Comunitária Integrativa e Yoga à Política Nacional de Práticas Integrativas e Complementares. Brasília, DF: MS; 2017.

Dacal MPO, Silva IS. Impactos das práticas integrativas e complementares na saúde de pacientes crônicos. Saude Debate. 2018;42(118):724-35. https://doi.org/10.1590/0103-1104201811815.

Ministério da Saúde (BR). Portaria n. 702, de 21 de março de 2018. Altera a Portaria de Consolidação n. 2/GM/MS, de 28 de setembro de 2017, para incluir novas práticas na Política Nacional de Práticas Integrativas e Complementares - PNPIC. Brasília, DF: MS; 2018.

Pohodenko-Chudakova IO. Acupuncture analgesia and its application in cranio-maxillofacial surgical procedures. J Craniomaxillofac Surg. 2005;33(2):118-22. https://doi.org/10.1016/j.jcms.2004.10.003.

Karst M, Winterhalter M, Münte S, Francki B, Hondronikos A, Eckardt A, et al. Auricular acupuncture for dental anxiety: a randomized controlled trial. Anesth Analg. 2007 Feb;104(2):295-300. https://doi.org/10.1213/01.ane.0000242531.12722.fd

Bancalari SL, Oliva MP. Efecto de la musicoterapia sobre los niveles de estrés de los usuarios internos de la clínica de odontología de la Universidad del Desarrollo. Int J Odontostomatol. 2012;6(2):189-93. http://doi.org/10.4067/S0718-381X2012000200012.

Gonçalves RN, Gonçalves JRSN, Buffon MCM, Negrelle RRB, Albuquerque GSC. Complementary and integrative practices: incorporation intodental education. Rev ABENO. 2018;18(2):144-23. https://doi.org/10.30979/rev.abeno.v18i2.495.

Wang SM, Peloquin C, Kain ZN. The use of auricular acupuncture to reduce preoperative anxiety. Anesth Analg.2001;93(5):1178-80. https://doi.org/10.1097/00000539-200111000-00024.

Artioli DP, Tavares ALF, Bertolini GRF. Auriculotherapy: neurophysiology, points to choose, indications and results on musculoskeletal pain conditions: a systematic review of reviews. BrJP.2019;2(4):356-61. https://doi.org/10.5935/2595-0118.20190065.

Downloads

Publicado

2021-12-21

Como Citar

1.
Pereira I, Silva J, Aragão M. A utilização das Práticas Integrativas e Complementares em Saúde e a atuação multiprofissional no atendimento odontológico: um relato de experiência. J Manag Prim Health Care [Internet]. 21º de dezembro de 2021 [citado 26º de maio de 2022];13:e025. Disponível em: https://jmphc.com.br/jmphc/article/view/1150