Custos das diárias de unidade de terapia intensiva no Sistema Único de Saúde na COVID-19

  • Adam Cruz da Silva Carlos Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro
  • Fernando Porto UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO
Palavras-chave: Custos e Análise de Custo, Unidade de Terapia Intensiva, Infecções por Coronavírus

Resumo

O surto da infecção pelo coronavírus da síndrome respiratória aguda grave 2, nomeada como COVID-19, foi inicialmente relatado em dezembro de 2019, em Wuhan, China. Essa doença surgiu associada a formas graves de pneumonia, com rápida disseminação humana. Os pacientes apresentam tosse seca, dor de cabeça, hipóxia, febre e dispneia. As mortes ocorrem devido a uma falência respiratória progressiva causada por danos pulmonares e sistêmicos. Dessa forma, casos graves geram cuidados em unidades de terapia intensiva (UTI). A elevação rápida dos números de casos e óbitos na China levou a Organização Mundial da Saúde (OMS) a decretar em 30 de janeiro de 2020 uma Emergência em Saúde Pública de Interesse Internacional. A partir desse momento, observou-se uma sequência de dispositivos sanitários sendo requisitados pela OMS até chegarmos ao status de pandemia mundial decretada em 11 de março de 2020. No Brasil, o primeiro caso foi identificado em 26 de fevereiro de 2020 no Estado de São Paulo, e o primeiro óbito em 17 de março de 2020, no mesmo estado. As estimativas de progressão da epidemia são de crescimento exponencial. Todas as medidas tomadas até o momento visam a evitar a superação da capacidade dos sistemas de saúde em atender à população que evolui para as formas mais graves da doença. Nessas situações, são necessárias internações em UTI e o uso de ventiladores pulmonares para o suporte respiratório desses casos, dentre outros materiais, medicamentos e equipamentos que são utilizados. Unidade de Terapia Intensiva - UTI é um serviço hospitalar destinado a usuários em situação clínica grave ou de risco, clínico ou cirúrgico, necessitando de cuidados intensivos, assistência médica, de enfermagem e fisioterapia, ininterruptos, monitorização contínua durante as 24 (vinte e quatro) horas do dia, além de equipamentos e equipe multidisciplinar especializada. O conhecimento dos custos é vital para saber se, dado o preço, o produto ou serviço condiz com o valor recebido e, se é possível reduzi-los de acordo com os serviços prestados. Estimar custos na área da saúde é mais complexo, pois inúmeros fatores estão envolvidos, como a patologia do paciente, o consumo de cada profissional e dentre outros que interferem na assistência. Esse estudo apresentou como objetivo verificar os custos das diárias de UTI na COVID-19 e analisar se os custos contemplam os gastos efetuados. Realizou- se uma revisão de literatura na base de dados Google acadêmico. Para guiar este estudo, foi elaborada a seguinte pergunta de pesquisa: Quais serão os custos das diárias de UTI da COVID-19? Os valores ressarcidos contemplam os gastos durante a internação? Estudos realizados em 2019 em 106 hospitais com diferentes estruturas jurídicas, ao se analisar custos em cada uma dessas organizações observou-se a média ponderada de R$ 1.934 por dia de UTI adulto sendo R$ 1.470 para hospitais filantrópicos, R$ 1.934 para Organização Social de Saúde, R$ 3.443 para Público de administração direta, R$ 2.836 hospital privado. Neste estudo, a metodologia de custeio por absorção plena foi utilizada, com a inclusão dos custos diretos e indiretos em saúde na diária de UTI. Com o uso de EPI, considera-se que os gastos poderão ser ainda maiores, e vale lembrar, que na COVID- 19 os casos de entubação endotraquel e suporte ventilatório invasivo são mais frequentes, o que tornam esses gastos ainda maiores. Os dados divulgados neste estudo, cerca de 4,7% dos pacientes necessitaram de suporte em ambiente de terapia intensiva e 2,3% de ventilação mecânica invasiva. A Portaria 237/2020 incluiu os leitos e procedimentos na Tabela de Procedimentos, Medicamentos, Órteses, Próteses e Materiais Especiais do (SUS), para atendimento exclusivo de pacientes com diagnóstico clínico de COVID-19 adulto e pediátrico. A descrição para esta nomenclatura compreende os cuidados intensivos necessários ao paciente com diagnóstico clínico da COVID- 19 com notificação obrigatória para fins epidemiológicos. O tipo de financiamento versa sobre os recursos de média e alta complexidade com o valor de R$ 1.372,80 para serviços hospitalares e R$ 227,20 para os serviços profissionais, somando um total hospitalar de R$ 1.600,00. Vale ressaltar, que esses valores estão apenas aplicados para os diagnósticos de COVID- 19, estando os demais diagnósticos com valores pela metade. Estudo sobre custos em UTI na COVID- 19 abordou quanto custa enfrentar esta pandemia, colocando que o gasto por diária gira em torno de R$2.500,00 a R$ 3.000,00 por dia, sendo um hospital com 30 leitos de UTI adulto ou pediátrica, esse gasto gira em torno de 75 mil por dia e 2,3 milhões por mês. Diante dos estudos mencionados, observou-se que os gastos das diárias de UTI da COVID- 19 variam de acordo com a sua estrutura jurídica, com uma média ponderada de R$ 1.934,00. Diante dos efeitos e das causas desconhecidas, estima-se que muitas unidades tenham triplicado os seus gastos na assistência das diárias em UTI, com gastos diretos e indiretos sendo conhecidos para uma melhor interpretação destes dados. Diante da adversidade ainda não conhecida desta patologia, o valor dobrado e repassado pela tabela SUS, colaborou de alguma forma com as unidades habilitadas em terapia intensiva. Na composição do financiamento em saúde, sugerem-se mais estudos que contemplam os gastos reais da diária de UTI COVID-19, para que com o conhecimento do comportamento destes custos, outras medidas possam ser adicionadas para o enfrentamento adequado.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Fernando Porto, UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO

Possui graduação em História pela Universidade Candido Mendes (2016), graduação em Curso de Graduação Em Enfermagem e Obstetrícia pela Faculdade de Enfermagem Luiza de Marillac (1992), mestrado em Enfermagem pela Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (2001) e doutorado em Enfermagem pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (2007). Atualmente é Professor Associado da Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro. Docente da Escola de Enfermagem Alfredo Pinto e Coordenandor de Cultura/PROEXC/UNIRIO. Tem experiência na área de Enfermagem, com ênfase em Enfermagem Materno-Infantil, atuando principalmente nos seguintes temas: enfermagem, história , imprensa escrita, imagem, cuidado e cultura.

Referências

.

Publicado
16-03-2021
Como Citar
1.
Carlos AC da S, Porto F. Custos das diárias de unidade de terapia intensiva no Sistema Único de Saúde na COVID-19. J Manag Prim Health Care [Internet]. 16º de março de 2021 [citado 21º de junho de 2021];12(spec):1-. Disponível em: https://jmphc.com.br/jmphc/article/view/1099