Excesso de peso em adultos de Viçosa (MG): fatores sociodemográficos e distribuição espacial

  • Amanda Karine da Silva Universidade Federal de Viçosa
  • Luciene Fátima Fernandes Almeida
  • Fernanda Maria Oliveira da Silva
  • Lucas Teixeira Reis
  • Giana Zarbato Longo
  • Milene Cristine Pessoa
Palavras-chave: Excesso de peso, Adulto, Saúde pública

Resumo

O cenário de comportamento sedentário, aliado à exposição a alimentos industrializados e de alta densidade energética, tem contribuído para o desenvolvimento de obesidade, caracterizada pelo acúmulo excessivo de gordura corporal que causa prejuízo à saúde. A obesidade é um fator multicausal, altamente complexo e influenciado por diferentes fatores, entre eles os sociodemográficos. Descrever a distribuição espacial do excesso de peso e caracterizar a prevalência deste agravo segundo fatores sociodemográficos em adultos no município de Viçosa-MG. Estudo transversal de base populacional realizado com adultos da cidade de Viçosa entre os anos de 2012 e 2013. A amostragem foi realizada por conglomerados, sendo as unidades de primeiro estágio os setores censitários, e em seguida, os domicílios. Foram sorteados 30 setores censitários urbanos para o estudo propriamente dito dentre os 107 setores existentes em Viçosa, por meio de amostragem casual simples, sem reposição, utilizando tabelas de números aleatórios. Para a obtenção dos dados foram aplicados questionários e antropometria (peso e estatura) para cálculo do Índice de Massa Corporal, sendo o excesso de peso caracterizado como IMC≥ 25kg/m². A prevalência de excesso de peso foi descrita segundo variáveis sociodemográficas e comparada entre indivíduos com e sem excesso de peso por meio do teste de QuiQuadrado de Pearson. Adotou-se o nível de significância α = 5%. Para analisar espacialmente a distribuição dos indivíduos de acordo com seu estado nutricional, foi utilizada a informação de localização exata (latitude e longitude) dos participantes da pesquisa. Mapa temático foi utilizado para descrever a distribuição espacial do excesso de peso segundo o sexo nos setores censitários estudados.  A amostra do estudo foi composta por 928 indivíduos, sendo 55,98% mulheres. Dos indivíduos avaliados, 424 (45,69%) tinham excesso de peso. Não houve diferença nas prevalências de excesso de peso entre homens (47,98%) e mulheres (43,79%) (p=0,202). A idade média dos participantes foi de 34,92 (DP=12,04) anos e a faixa etária mais frequente foi de 20 a 29 anos (49,63%). A maioria das pessoas tinha 12 ou mais anos de escolaridade (53,38%) e pertencia à classe de consumo C (66,75%). Foram observadas maiores prevalências de excesso de peso em indivíduos mais velhos, tanto do sexo masculino, quanto feminino (p<0,001). Não houve diferença nas prevalências de excesso de peso segundo classe de consumo (p>0,05). Quanto à escolaridade, foi observado que mulheres menos escolarizadas apresentavam maior prevalência de excesso de peso (p<0,001). Por meio da análise do mapa, observou-se que houve um padrão de distribuição do excesso de peso com maior concentração de pontos no sul da cidade, próximos ao Bom Jesus, Centro e Santa Clara. Em bairros mais distantes como João Brás, Júlia Molar e Vale do Sol, foram mostrados pontos mais dispersos. Os resultados indicam que, no município de Viçosa, há a necessidade do desenvolvimento de ações voltadas para o controle de excesso de peso entre adultos de idade mais avançada, entre mulheres com menor escolaridade e entre adultos que residem em locais próximos aos bairros Bom Jesus, Centro e Santa Clara.

Publicado
05-01-2017
Como Citar
1.
da Silva A, Almeida LF, da Silva FM, Reis L, Longo G, Pessoa M. Excesso de peso em adultos de Viçosa (MG): fatores sociodemográficos e distribuição espacial. JMPHC [Internet]. 5jan.2017 [citado 18jul.2019];7(1):5-. Available from: http://jmphc.com.br/jmphc/article/view/345
Seção
Seminários, Simpósios e Mesas Redondas