Termalismo e Crenoterapia: potencialidades e desafios para a saúde coletiva no Brasil

  • Fernando Hellmann Departamento de Saúde Pública. Universidade Federal de Santa Catarina
  • Livia Crespo Drago Mestre em enfermagem e docente da Universidade do Sul de Santa Catarina - UNISUL.

Resumo

Dado o imenso potencial brasileiro, o termalismo social e a crenoterapia, previstas na Política Nacional de Práticas Integrativas e Complementares, são práticas pouco exploradas como fator de recuperação, manutenção e promoção da saúde. Reflete-se, neste artigo, as potencialidades e desafios do termalismo social e crenoterapia para a saúde coletiva no Brasil. Para tanto, aproxima-se aos conceitos de tais práticas, apresenta-se breve histórico do termalismo/crenoterapia no Brasil e no Sistema Único de Saúde, para então abordar alguns dos desafios existentes no campo. Considera-se que há pouco conhecimento dessa temática por parte das equipes de saúde da família e núcleos de apoio, os quais podem integrar algumas práticas termais/crenoterápicas na atenção básica, para além do termalismo clássico aplicado em termas. Um conjunto de ações, notadamente a formação em termalismo, pesquisa e financiamento, são discutidos com vistas ao fortalecimento destas práticas enquanto agente de promoção da saúde.

Biografia do Autor

Fernando Hellmann, Departamento de Saúde Pública. Universidade Federal de Santa Catarina
Doutor em Saúde Coletiva. Professor no Departamento de Saúde Pública da Universidade do Sul de Santa Catarina.
Publicado
22-08-2018
Como Citar
1.
Hellmann F, Drago L. Termalismo e Crenoterapia: potencialidades e desafios para a saúde coletiva no Brasil. JMPHC [Internet]. 22ago.2018 [citado 19set.2018];8(2):309-21. Available from: http://jmphc.com.br/jmphc/article/view/541