Associação entre fatores sociodemográficos e a prevalência do aleitamento materno exclusivo no primeiro mês de vida

  • Marcela Martins Soares Universidade Federal de Viçosa
  • Mariane Alves Silva Universidade Federal de Viçosa
  • Poliana Cristina de Almeida Fonsêca Universidade Federal de Viçosa
  • Sarah Aparecida Vieira Universidade Federal de Viçosa
  • Raquel Maria Amaral Araújo Universidade Federal de Viçosa
  • Sylvia do Carmo Castro Franceschini Universidade Federal de Viçosa
Palavras-chave: Fatores Sociodemográficos, Aleitamento Materno, Lactente.

Resumo

O leite materno é considerado alimento completo e ideal para a alimentação ótima das crianças. Diante disso, a Organização Mundial da Saúde recomenda que o mesmo seja ofertado de forma exclusiva até o sexto mês e de forma complementar até os 2 anos ou mais. Entretanto, existem diversos fatores socioeconômicos que podem influenciar a execução desta prática, dentre os quais se destacam a baixa escolaridade, idade materna, condições de parto ou falta de informação decorrente a não realização do pré-natal, pouca disponibilidade de tempo e, ou, falta de apoio psicológico e emocional, fato estes que justificam a realização deste trabalho. Avaliar a associação entre fatores sociodemográficos e a prevalência do aleitamento materno exclusivo no primeiro mês de vida. Estudo transversal com 226 crianças de Viçosa-MG. Durante entrevistas realizadas com os responsáveis foi aplicado um questionário semiestruturado contendo questões referentes à situação sociodemográfica. Para a classificação do tipo de aleitamento materno (exclusivo, predominante, complementar e misto), utilizou-se as definições adotadas pelo Ministério da Saúde. As análises foram realizadas utilizando o software Stata versão 10.0. Na análise bivariada estimou-se a razão de prevalência e intervalo de confiança pela Regressão de Poisson com variância robusta, sendo as variáveis com valor de p<0,20 incluídas no modelo múltiplo. A prevalência de aleitamento materno exclusivo no primeiro mês foi de 45,6%. Após a análise múltipla, o chefe da família e a sua escolaridade se associaram com o aleitamento materno exclusivo, de modo que filhos de chefe com maior escolaridade (RP=0,55; IC95%:0,42 – 0,73) apresentaram menor prevalência de aleitamento materno exclusivo no primeiro mês de vida. Conclui-se que a prevalência de aleitamento materno exclusivo no primeiro mês de vida é baixa. Quando o chefe da família é o marido há maior prevalência do aleitamento materno de forma exclusiva no primeiro mês, fato este que pode estar relacionado a não preocupação materna em voltar a trabalhar para sustentar a família. No que se refere à escolaridade, percebeu-se que quando esta é maior ou igual a nove anos, o aleitamento materno exclusivo neste período é mais frequente, tal situação mostra a importância do conhecimento familiar sobre os benefícios da prática do aleitamento materno, o qual torna-se mais acessível quando há maior escolaridade. 

Biografia do Autor

Marcela Martins Soares, Universidade Federal de Viçosa

 

 

Publicado
05-01-2017
Como Citar
1.
Soares M, Silva M, Fonsêca PC, Vieira SA, Araújo RM, Franceschini S. Associação entre fatores sociodemográficos e a prevalência do aleitamento materno exclusivo no primeiro mês de vida. JMPHC [Internet]. 5jan.2017 [citado 22out.2019];7(1):56-. Available from: http://jmphc.com.br/jmphc/article/view/382
Seção
Seminários, Simpósios e Mesas Redondas

##plugins.generic.recommendByAuthor.heading##