Diagnóstico precoce das cardiopatias congênitas: Uma revisão integrativa

  • Líscia Divana Cravalho Silva UNIVERSIDADE FEDERAL DO MARANHÃO-UFMA.
  • Taynar da Costa Almeida Pavão HOSPITAL UNIVERSITÁRIO DA UNIVERSIDADE FEDERAL DO MARANHÃO-UFMA.
  • Joseildes Castelo Branco Souza HOSPITAL UNIVERSITÁRIO DA UNIVERSIDADE FEDERAL DO MARANHÃO-UFMA.
  • Luzinéa de Maria Pastor Frias UNIVERSIDADE FEDERAL DO MARANHÃO-UFMA.
Palavras-chave: Cardiopatia Congênita, Diagnóstico Precoce, Diagnóstico Pré-natal.

Resumo

As cardiopatias congênitas constituem uma das principais causas de morbimortalidade neonatal; possuem manifestações clínicas distintas e necessitam de diagnóstico precoce. Estudo com objetivo de analisar o diagnóstico precoce das cardiopatias congênitas. Os critérios de inclusão foram artigos disponíveis nos idiomas português, inglês e espanhol, publicados entre os anos de 2005 a 2015 no PUBMED (National Center for Biotechnology Information and National Library of Medicine), BVS (Biblioteca Virtual em Saúde), o portal da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Ensino Superior (CAPES) e LILACS (Literatura Latino-Americana de Ciências da Saúde)Seguiu-se o modelo descrito por Mendes, Silveira e Galvão (2008), que sugere a divisão da revisão em seis etapasOs artigos foram submetidos a uma avaliação de rigor metodológico da Critical Appraisal Skills Programme-CASP. Obteve-se uma amostra de 11 artigos. Os métodos diagnósticos mais utilizados são a ultrassonografia e o ecocardiograma fetais. O rastreamento ultrassonográfico na gestante constitui a melhor forma de detecção das malformações no primeiro trimestre e o ecocardiograma fetal um método importante utilizado para análise mais acurada. Outros métodos são o exame físico criterioso, a oximetria de pulso e o ecocardiograma do recém-nascido. A avaliação do recém-nascido com suspeita de cardiopatia deve ser realizada de maneira criteriosa e rotineira, destaca-se a inclusão de outros profissionais para a realização da oximetria de pulso arterial (enfermagem) e do ecocardiograma do recém-nascido (neonatologistas). Constata-se a importância do diagnóstico precoce para um tratamento adequado, prevenção de agravos e sequelas oportunizando a melhora do prognóstico e permitindo a sobrevida prolongada à saúde da criança.

Biografia do Autor

Líscia Divana Cravalho Silva, UNIVERSIDADE FEDERAL DO MARANHÃO-UFMA.
Enfermeira. Doutora em Ciências pela Escola de Enfermgem de Ribeirão Preto- Universidade São Paulo (EERP-USP). Mestre em Enfermagem pela Universidade Federal do Ceará (UFC). Docente do Departamento de Enfermagem da Universidade Federal do Maranhão (UFMA).
Taynar da Costa Almeida Pavão, HOSPITAL UNIVERSITÁRIO DA UNIVERSIDADE FEDERAL DO MARANHÃO-UFMA.
ENFERMEIRA. ESPECIALISTA EM CARDIOLOGIA. HOSPITAL UNIVERSITÁRIO DA UNIVERSIDADE FEDERAL DO MARANHÃO (HUUFMA).
Joseildes Castelo Branco Souza, HOSPITAL UNIVERSITÁRIO DA UNIVERSIDADE FEDERAL DO MARANHÃO-UFMA.
ENFERMEIRA. MESTRE EM CIENCIAS DA SAÚDE PELA UNIVERSIDADE FEDERAL DO MARANHÃO-UFMA. ESPECIALISTA EM CARDIOLOGIA-INSTITUTO DANTA PAZZANESE DE CARDIOLOGIA (IDPC). HOSPITAL UNIVERSITÁRIO DA UNIVERSIDADE FEDERAL DO MARANHÃO-UFMA.
Luzinéa de Maria Pastor Frias, UNIVERSIDADE FEDERAL DO MARANHÃO-UFMA.
Enfermeira. Doutora em Políticas Públicas pela Universidade Federal do Maranhão (UFMA). Mestre em Enfermagem pela Universidade Federal do Ceará (UFC). Docente do Departamento de Enfermagem da Universidade Federal do Maranhão (UFMA).
Publicado
19-12-2018
Como Citar
1.
Silva L, Pavão T, Souza J, Frias L. Diagnóstico precoce das cardiopatias congênitas: Uma revisão integrativa. JMPHC [Internet]. 19dez.2018 [citado 21mar.2019];9. Available from: http://jmphc.com.br/jmphc/article/view/336