Hormonioterapia oral no câncer de mama: fatores que podem influenciar a adesão

  • Martamaria de Souza Ferraz Ribeiro Universidade do Estado da Bahia - Salvador BA
  • Marcel Tavares de Farias Universidade do Estado da Bahia - Salvador BA
  • Islania Almeida Brandão Hospital Português - Salvador Bahia
  • Patrícia Alcântara Doval de Carvalho Viana Hospital Santa Izabel - Santa Casa da Bahia - Salvador Bahia
Palavras-chave: Neoplasias de mama, Adesão à Medicação, Avaliação, Institutos de Câncer, Neoplasias Hormônio-Dependentes

Resumo

A adesão terapêutica é definida como o grau de cumprimento das instruções médicas pelo paciente. A terapia endócrina ou hormonioterapia consiste no uso de substâncias semelhantes a hormônios, ou supressoras desses, para inibir o crescimento tumoral. É um tratamento de longa duração, com efeitos adversos importantes, o que implica em dificuldade de adesão. Neste estudo foram utilizados dois métodos para avaliar a adesão, o teste Morisky e Green e o questionário proposto por Marques. De acordo aos resultados do teste Morisky e Green, 80% dos pacientes entrevistados foram considerados não aderentes, enquanto, por meio do questionário de Marques, analisando os fatores que podem influenciar a não adesão, foi detectada uma média de pontos de 24,83±4,84, que corresponde ao resultado de nenhuma dificuldade em aderir ao tratamento. Houve diferença nos resultados, porém as metodologias de avaliação e a elucidação das informações extraídas diferem de tal modo, que cada método deve ser analisado separadamente e criticado dentro de suas limitações. Foi possível inferir que o teste Morisky e Green é útil para nortear uma avaliação, porém não reflete bem o grau de adesão, uma vez que tende a superestimar a não adesão. Todavia, avaliar os fatores que podem influenciar a adesão, como proposto por Marques, é uma maneira útil de detectar as dificuldades dos pacientes em aderir ao tratamento medicamentoso, a fim de influenciar de maneira positiva a adesão.

Biografia do Autor

Martamaria de Souza Ferraz Ribeiro, Universidade do Estado da Bahia - Salvador BA
Farmacêutica Especialista em Oncologia pelo Programa de Residência Multiprofissional em Oncologia da Universidade do Estado da Bahia.
Publicado
20-08-2017
Como Citar
1.
de Souza Ferraz Ribeiro M, Tavares de Farias M, Almeida Brandão I, Alcântara Doval de Carvalho Viana P. Hormonioterapia oral no câncer de mama: fatores que podem influenciar a adesão. JMPHC [Internet]. 20ago.2017 [citado 19set.2018];8(1):16-. Available from: http://jmphc.com.br/jmphc/article/view/277